UNIFEI adota solução LoRa para gestão do consumo de água

UNIFEI adota solução LoRa para gestão do consumo de água

Para fazer a gestão do consumo de água a Universidade Federal de Itajuba (UNIFEI), em Minas Gerais, adotou uma solução LoRa para monitorar cerca de 50 hidrômetros dentro do campus. A medida faz parte de um conjunto de ações sustentáveis para reduzir o alto consumo da universidade.

O desafio

Uma das primeiras medidas foi identificar e analisar a possibilidade de uso de poço artesiano para substituir o consumo de água abastecido pela concessionária local. Com a perfuração foi encontrado um poço capaz de fornecer o recurso para todo o campus. Apesar da abundância, ainda havia a preocupação com a sustentabilidade ambiental, por isso, ainda se fez necessário buscar soluções para evitar o desperdício de água.

O professor José Alberto lembra que, com todo o sistema de abastecimento instalado, havia dúvidas de como fazer a gestão de 50 hidrômetros. “Umas das primeiras alternativas seria utilizar a rede de internet através de equipamentos wireless, no entanto, logo se mostrou inviável passar cabos em 50 locais diferentes, em alguns pontos teria que abrir a rua”, comentou.

Solução LoRa

Após um período de avaliação os pesquisadores optaram por utilizar uma solução de comunicação LoRaWAN®. Por meio de uma licitação pública, a UNIFEI adquiriu o Contador para Leitura de Água da Khomp.

O Contador IoT faz leituras automatizadas e detecta vazamentos de forma precisa. Acoplado a hidrômetros o dispositivo inteligente consegue, dependendo do modelo do hidrômetro, monitorar o consumo, constatar o sentido do fluxo (direto ou inverso) e enviar todos os dados coletados sem a necessidade de qualquer fiação. Outro diferencial do dispositivo é o seu sensor “tamper”, que gera um evento sempre que o case for aberto, gerando proteção extra contra possíveis fraudes.

Teste dos dispositivos

Ao fazer as primeiras instalações dos dispositivos, curiosamente, o professor José Alberto tinha dúvidas se os aparelhos seriam capazes de superar as barreiras físicas do local e emitir os dados para a rede.

“O hidrômetro está em um local, que eu pensei: esse sinal não vai sair daqui de dentro. Ele está lacrado na base de um prédio com paredes grossas, a torre que recebe o sinal está a 3 km de distância. Mas quando eu cheguei em casa já estava recebendo os dados de cada dispositivo”, comemorou o professor.

Com o resultado positivo sobre o monitoramento do consumo de água, a UNIFEI deve iniciar a camada de aplicação, onde será feita a gestão dos dados sobre o recurso hídrico.

“A tecnologia LoRa está abrindo uma oportunidade para gente medir o que sequer imaginamos. Quando a gente iria imaginar ter informação a cada hora de 50 hidrômetros da universidade? Então nós temos que sair da caixinha, começar a pensar em coisas que nós nem imaginávamos que seria possível” concluiu o professor José Alberto.

A Universidade Federal de Itajubá é parceira do Centro de Referência em Internet das Coisas, INOVAi. Se você é do ecossistema de Itajubá e região, e tem interesse em desenvolver projetos de IoT com a tecnologia de Rede Neutra IoT LoRaWAN da American Tower, acesse inovai.org.br para saber mais!

Gostou desse artigo?

Compartilhe com sua rede

LinkedIn
Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email

Assine a nossa newsletter

Faça comos os profissionais de IoT de destaque e assine a nossa newsletter quinzenal para receber os próximos artigos diretamente na sua caixa de entrada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados