UNIFEI trabalha em projeto IoT para o monitoramento de montanhistas e proteção da Serra da Mantiqueira

UNIFEI trabalha em projeto IoT para o monitoramento de montanhistas e proteção da Serra da Mantiqueira

Para a conservação da Serra da Mantiqueira pesquisadores da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) trabalham em um projeto baseado na Internet das Coisas (IoT) para o monitoramento de montanhistas, proteção e conservação da Serra da Mantiqueira, uma das mais belas cadeias de montanhas do país. O projeto liderado pela professora Daniela Rocha estuda a viabilidade de uso da tecnologia de Rede LoRaWAN para instalação de sensores na região.

A pesquisa será conduzida na Serra Fina, uma seção da Serra da Mantiqueira, muito conhecida por suas trilhas onde também há um projeto para a contagem de pessoas na trilha. Guias experientes irão percorrer a trilha munidos de um rastreador LoRa para identificar as áreas que recebem o sinal de transmissão da Rede LoRaWAN da American Tower.

“Projetamos o rastreador LoRa, iremos colocar na mochila de um guia, e vamos acompanhar o sinal no GPS. Eu acredito que vamos encontrar o sinal da Rede LoRaWAN em grande parte da trilha, e também, espero que a gente tenha a transmissão mais alta do Brasil feita em terra, a 2798 metros”, comentou José Alberto um dos pesquisadores do projeto. Várias empresas têm apoiado o desenvolvimento do protótipo tendo em vista as condições extremas de operação.

Serra da Mantiqueira
Incêndio na Pedra da Mina, em São Paulo — Foto Divulgação – Corpo de Bombeiros

O otimismo do professor tem como base a capacidade de resistência à ruído, o alcance e o baixo consumo da rede LoRa. Nos estudos preliminares o rastreador já alcançou distância entre 20 km e 50 km com visada direta e com baixa perda de pacote. Por essa razão, José Alberto acredita que será possível enviar sinais da Pedra da Mina para a Torre da American Tower localizada na cidade de Queluz (SP).

Protegendo a Serra da Mantiqueira com IoT

A importância de se rastrear o sinal de transmissão da Rede LoRaWAN na Serra da Mantiqueira é justificável por inúmeras razões. Com unidades de conservação e áreas de proteção ambiental o local atrai turistas e montanhistas dispostos a percorrer suas inúmeras trilhas ou aproveitar as belezas naturais.

Mas em 2020, um incêndio de grandes proporções queimou mais de 600 hectares da vegetação local, o equivalente a 460 campos de futebol. O combate às chamas realizado pelos montanhistas, bombeiros de São Paulo, Minas Gerais e militares das forças armadas levou sete dias para ser concluído.

Serra da Mantiqueira
Trilha na Serra Fina -crédito da imagem: Campim Amarelo Montanhismo

A instalação de dispositivos IoT na Mantiqueira pode evitar novas tragédias como esta. Sensores podem identificar e enviar alertas com a localização de incêndios, o que torna mais ágil o trabalho dos bombeiros. Além disso, também será possível monitorar os visitantes que se aventuram em quase 30 km de trilha na Serra Fina e localizar aqueles que estão perdidos.

“Encontrar o sinal de transmissão vai abrir um enorme campo de medição nos parques e reservas nacionais que a gente ainda nem imagina. Poderemos medir, por exemplo, gases, temperatura e umidade em tempo real na Serra Fina”, destacou o professor José Alberto.

O projeto foi registrado e aprovado pelo ICMBio – APA Serra da Mantiqueira e conta com apoio dos guias locais, proprietários de terras do entorno da APA e de universidades parceiras.

A Universidade Federal de Itajubá é parceira do Centro de Referência em Internet das Coisas, INOVAi. Se você é do ecossistema de Itajubá e região, e tem interesse em desenvolver projetos de IoT com a tecnologia de Rede Neutra IoT LoRaWAN da American Tower, acesse inovai.org.br para saber mais!

Gostou desse artigo?

Compartilhe com sua rede

LinkedIn
Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email

Assine a nossa newsletter

Faça comos os profissionais de IoT de destaque e assine a nossa newsletter quinzenal para receber os próximos artigos diretamente na sua caixa de entrada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados